Dor na coluna aumenta durante pandemia

Dor na coluna aumenta durante pandemia

Uma pesquisa desenvolvida pela UFMG, Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) para identificar como a pandemia tem afetado a vida dos brasileiros em diversos aspectos revelou que 41% das pessoas sentem dores na coluna. Segundo Pesquisa Nacional de Saúde realizada pelo Instituto Brasileiros de Geografia e Estatística (IBGE), em 2013 esse número era de 18,5%. Um terço declarou ainda que houve piora nas dores que já existiam. 

Para a coordenadora do estudo ConVid – Pesquisa de Comportamento e Professora da Escola de Enfermagem da UFMG, Deborah Malta, “o aumento na ansiedade e o estado de ânimo pior, juntamente com a redução drástica de atividade física e longos períodos em frente às telas, podem estar associados ao crescimento desses índices”. De acordo com a pesquisadora, antes da pandemia as pessoas assistiam TV por 1,8 hora ao dia e que esse tempo aumentou para 3,3 horas. Em frente ao computador, tablet ou celular, os usuários ficavam aproximadamente 3,8 horas por dia, passando para 5,3 horas durante a pandemia.

Clique aqui para ver a entrevista concedida pela pesquisadora à TV UFMG

Fonte: UFMG

 

 

 

Fechar Menu